‘Saideira’, de Guido de Castro chega às plataformas

‘Saideira’ é o título da mais nova produção fonográfica do compositor, músico e produtor cultural, Guido de Castro (foto). O álbum duplo tem 25 faixas instrumentais num CD e, na outra peça, 25 composições, letradas e cantadas. A partir do dia 6 de fevereiro o ‘Saideira’ estará disponível nas plataformas: Spotify, Apple Music, iTunes, Amazon, Pandora, YouTube, Deezer. Em virtude da pandemia não haverá lançamento presencial do álbum.

A mais recente produção de Guido de Castro não foge do cenário musical ao qual o compositor transita com desenvoltura e maestria: Bossa Nova, Samba, Choro, Baladas, Valsas, Marcha-rancho. Em boa parte das composições o autor conta com as parcerias de alguns de seus letristas habituais como Neuza Pacheco, Alfredo de Oliveira, Sara Bentes e os mais frequentes, Antônio Seabra e Laís Amaral Jr.

Independente da excelência instrumental apoiada nos harmoniosos e expressivos arranjos sob a batuta do tecladista Emanuel Domingues, a parte cantada, adornada de prosa e poesia, segue com um elenco brilhante de vozes já familiares às produções de Guido de Castro. Alguns deles, de elogiadas performances, já com prestígio que ultrapassa as fronteiras regionais. Estão lá, por ordem alfabética: Beto Olliveira, Claudia Martins, Danny Barros, Jéricka Schumacker, Marco Esch, Sara Bentes, Sergio Bentes e Wilsinho Ramalho.

GUIDO, SEMPRE NO RASTRO DA MÚSICA
Guido de Castro é um cearense que vive no Rio de Janeiro desde 1972. Morou em Quatis, no Sul Fluminense, de 2000 a 2015 atuando como produtor cultural e fonográfico de suas próprias obras. Atualmente mora na Tijuca, no Rio. Começou seus estudos de violão aos doze anos. Na adolescência compôs suas primeiras canções. É autor de mais de duzentas músicas em vários estilos (samba, bossa-nova, chorinho, valsas, baladas diversas e músicas regionais). Somente aos 45 anos começou a apresentar publicamente suas composições, participando de festivais de música na região Sul-Fluminense. Coleciona premiações em Resende, Volta Redonda, Piraí e Quatis.

DISCOGRAFIA
Claudia Martins – O Brilho da Estrela (2004), CD com 13 composições próprias; Quatis, Bela e Hospitaleira (2008), CD com 16 faixas, sendo oito de sua autoria e participação de compositores e intérpretes de Quatis; A Gente Vai Sambando (2009), CD com 14 músicas autorais. E seguem os álbuns com suas composições próprias:

Focos, 20 faixas; Curvas, 15 faixas; Canto Livre, 14 faixas; Umas e Outras, 20 faixas; Andante, 15 faixas; Atrevidamente (Samba, Chorinho e Fado), 20 faixas; Saideira (sambas, chorinhos e bossa-nova), com 25 faixas.

Com essa disposição para compor e produzir, certamente virão outras “saideiras”.

Fotos: Divulgação

Você pode gostar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

O limite de tempo está esgotado. Recarregue CAPTCHA.