Acredite se Quiser

– O início do ano em Resende não foi dos melhores. Ainda no finalzinho de 2014, a prefeitura teve que lidar com as críticas por não ter organizado nenhuma festa de Natal e Ano Novo e nem ter entregue o salário dos servidores no dia 30, o que embora seja permitido pela lei, não é o costume da prefeitura. Começando janeiro, os moradores do Manejo tiveram que lidar com problemas de atendimento no posto de Saúde, alagamento na Avenida Governador Portela – onde foi realizada recentemente uma obra de R$ 9 milhões que previa a drenagem de água com vistas a evitar esse tipo de problema – e falta de coleta de lixo no primeiro dia útil do ano.

– Aliás, ao que tudo indica, este será mesmo um ano de vacas magras. Uma das montadoras da cidade realiza anualmente uma premiação dos melhores projetos dos funcionários na Academia Militar das Agulhas Negras (Aman), uma festa com convites bastante disputados entre eles. Nesse ano, a festa foi realizada na própria empresa, durante o horário do expediente. Desacreditando das fábricas, o governo municipal já mandou os funcionários do Sine à caça de novas vagas de emprego no comércio da cidade, mesmo que este também tenha reclamado das vendas de final de ano.

– Um blog da região mostrou alguns dos principais financiadores das campanhas de deputado estadual e federal de Volta Redonda nas eleições de 2014. Dois destes candidatos a deputado estadual tiveram ajuda do ex-prefeito de Porto Real, Jorge Serfiotis, apesar de a região das Agulhas Negras também ter lançado vários candidatos. Na campanha do filho de Jorge, Alexandre Serfiotis (PSD), a deputado estadual, a dupla deixou clara a importância de votar em candidatos das Agulhas Negras, mas mesmo assim, Serfiotis pai apoiou candidatos “de fora”. Segundo o blog, tanto Nélson Gonçalves, do PSD, quanto Edson Albertassi, do PMDB, receberam da família Serfiotis R$ 2.924 cada.

– O governador do Rio de Janeiro Luiz Fernando Pezão (PP) anunciou um secretariado cheio de nomes da região, como os piraienses Christino Áureo (Agricultura e Pecuária) e Gustavo Tutuca (Ciência e Tecnologia), o barrense José Luiz Anchite (Desenvolvimento Regional, Abastecimento e Pesca), e o valenciano André Corrêa (Ambiente). Muitos dos nomes, não apenas os da região Sul Fluminense, foram colocados pela primeira vez na equipe estadual, e grande parte deles haviam sido eleitos para mandatos na Alerj (Assembleia Legislativa do Rio). Nas coletivas de imprensa pelo estado, Pezão afirmou que os convites foram feitos para oxigenar o secretariado. No entanto, o que se comenta nas cidades, é que se trata de uma estratégia para “puxar” outros suplentes menos populares para a Alerj e enfraquecer a imagem destes mais votados perante seus eleitores, já que não os defenderão na Assembleia. Na inauguração do novo pólo do Cederj e CVT de Resende, no dia 20 de dezembro, ele mesmo relatou que estava convidando alguns deputados eleitos para sua equipe para garantir que outros suplentes da mesma legenda chegassem à Alerj.

– Ainda sobre a inauguração dos novos polos, agora todas as unidades educacionais custeadas pelo Estado do Rio de Janeiro, Faetec, Cederj e CVT, ficarão em um mesmo local, em terreno que é do estado. O prédio que até então abrigava o CVT, na Cidade Alegria, também era do estado e agora volta para ele. Já o prédio onde estava instalado o polo do Cederj era alugado e a quantia paga pela Prefeitura de Resende. Segundo informações a que o BEIRA-RIO teve acesso, o local pode abrigar a Secretaria Municipal de Educação, já que a prefeitura está tendo dificuldades em pagar o aluguel do local em que a secretaria está atualmente instalada, como o jornal já havia mostrado em uma matéria do final de 2014.

– Já estão empossadas as novas mesas diretoras das Câmaras Municipais da Região das Agulhas Negras. Em Itatiaia, assumiu o vereador Jair Balbino da Silva, o Jair Porquinho (PMDB); em Porto Real, Gilberto Caldas (PSL); em Quatis, Helio Ricardo, o professor Helio (PMDB); e em Resende, Jeremias Casemiro, o Mirim (Solidariedade).

– Continuando com as mudanças, O PSB de Resende está com um novo presidente: o vereador de Pinheiral Felipe Rivelo, de 27 anos. Ele assume por um ano com o objetivo de “oxigenar” a sigla para uma possível disputa municipal e o então presidente Paulo César de Oliveira passa a ser apenas o diretor-financeiro. Segundo o material divulgado pela assessoria do partido, a mudança foi definida pela Executiva Estadual da sigla. Xii…

Você pode gostar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

O limite de tempo está esgotado. Recarregue CAPTCHA.