Ciclistas criticam estacionamento de ônibus em acostamento de avenida no Acesso Oeste

Em tempo de pandemia do novo coronavírus, uma modalidade esportiva que já tinha bastantes adeptos em Resende, ganhou ainda mais apaixonados. Ainda assim, os ciclistas quem gostam de pedalar de Resende até Penedo, em Itatiaia, reclamam da falta de um espaço seguro para circularem no trânsito cada vez mais complicado do município. Para encurtar o caminho, os adeptos do ciclismo e do mountain bike escolheram a saída da cidade pelo Acesso Oeste para chegar mais rápido à localidade vizinha e evitar os congestionamentos no trecho da Rodovia Presidente Dutra próximo a um rodoshopping.

Um grupo desses ciclistas têm reclamado que os ônibus de linha que circulam em Resende ocupam a faixa inteira de um dos lados da Avenida Francisco Fortes Filho, nas proximidades de um supermercado atacadista, colocando a vida deles em risco. O local costuma ser utilizado pelos motoristas como ponto de embarque e desembarque de passageiros.

– Nós ciclistas optamos por sair pelo acesso oeste justamente para evitarmos o trânsito maior que fica no bairro comercial e o Montese. Podemos chamar (o local) de acostamento do acesso oeste, pois não tem marcação de ciclovia, mas justamente nesse acostamento a empresa São Miguel estaciona seus veículos, nos obrigando a seguir no meio da via – conta o pintor automotivo Tiago Carvalho (foto).

Ele confirmou ao jornal BEIRA-RIO ter conversado com o administrador e criador do Prover Resende, Rui Paiva, de quem é amigo. Mas disse desconhecer que haja um protocolo aberto na Ouvidoria da Prefeitura de Resende. “A todos que falamos o Rui foi o único que se propôs a tentar ajudar. Na verdade, estamos é desanimados. Nada se faz! Para você ter uma ideia, no Paraíso havia ciclovia e foi retirada. Acaba que cai naquele ditado ‘o que não posso mudar, aprendo a conviver'”.

Mesmo em trechos onde há ciclovia ou ciclofaixa, Tiago aponta a falta de respeito às regras. “Só tem na coronel Mendes (no Manejo), mas é uma falta de respeito só, até viaturas estacionam na mesma. Inclusive já ocorreram na ciclovia vários acidentes”.

Adepto do ciclismo há mais de 20 anos, o pintor automotivo relata que com a pandemia “o número de ciclistas aumentou absurdamente”, mas não soube precisar o número de pessoas que passam pelo Acesso Oeste. “Pegamos aquele acesso todos os dias nos treinos, e assim que abriu a avenida nos facilitou muito, mas esse problema dos ônibus surgiu há uns dois anos”.

O equipe do jornal também entrevistou Rui Paiva, que de fato registrou um protocolo na Ouvidoria em janeiro deste ano. “Aqui em Resende a grande maioria que vai para o lado de Penedo passa pelo Acesso Oeste para diminuir o tempo de Dutra, mas nas proximidades do mercado existe um local onde os ônibus ficam estacionados ocupando uma faixa inteira dividindo e obrigando os ciclistas a ficarem expostos ao risco. Em janeiro foi aberto um protocolo na ouvidoria do município e até agora nada de solução. Até o momento não conseguimos evolução no assunto”, lamenta.

Ele soube do drama do ciclista através de comentários de familiares e amigos. “Tenho cunhado, sobrinho e vários amigos ciclistas, diversas vezes escutei o comentário do problema dos ônibus estacionados em uma das faixas deixando os ciclistas em risco, tomei a decisão de fazer uma solicitação na ouvidoria do município quando o Tiago entrou em contato comigo fazendo a mesma reclamação. Sabendo que ele é um ciclista que está a frente de alguns eventos grandes de ciclismo que usam esse mesmo acesso resolvi tentar ajudar”.

Ciclista (indicado na seta) é obrigado a passar no mesmo local que outros veículos e muitas vezes correm riscos

O documento do protocolo aberto por Paiva aponta que ele registrou a reclamação dos ciclistas em 23 de janeiro e solicita a Superintendência de Transporte e Trânsito (Sumtran) a marcação de estacionamento (rua e meio-fio) na avenida Francisco Fortes Filho (Acesso Oeste), nas proximidades do supermercado atacadista, que é “de grande circulação de ciclistas por dar acesso a Dutra”, já que os ônibus estão estacionados em local onde coloca os ciclistas em risco de acidente. Ele diz que “o local está identificado com faixa branca permitindo o estacionamento”, e que sugere “pintar a faixa de amarelo, proibindo o estacionamento, e colocando o ciclista em segurança”.

A reclamação, que no documento tinha uma data-limite para resposta até o dia 12 de fevereiro, existe apenas uma informação acrescentada no dia 8 de abril, informando ao requerente que “a solicitação será encaminhada ao setor competente para análise e providências quanto ao solicitado”, mas sem qualquer resposta posterior.

O jornal entrou em contato com a Prefeitura de Resende, que até o momento não se pronunciou.

Fotos: Reprodução/Redes Sociais e Google Maps

Você pode gostar

One thought on “Ciclistas criticam estacionamento de ônibus em acostamento de avenida no Acesso Oeste

  1. Além do que param em cima da faixa de pedestres elevada que tem ali.
    Vc vai passar e tem um pedestre surgindo na faixa atrás de um ônibus.
    Eles deveriam respeitar pelo menos 3 metros de distância da faixa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

O limite de tempo está esgotado. Recarregue CAPTCHA.