No Dia de Hoje – 21 de outubro

No Brasil, fruta tem produção em municípios da região Sul (Foto: Reprodução/Internet)

No dia 21 de outubro é o Dia Internacional da Maçã. A data foi celebrada pela primeira vez em 1990, em Londres, pela Common Ground, uma entidade filantrópica britânica. A data motiva uma série de eventos comemorativos ao longo de todo o mês de outubro. De acordo com a reportagem da Superinteressante, as primeiras maçãs colhidas pela humanidade eram frutos da árvore selvagem Malus sieversii, nativa das montanhas do Cazaquistão, na Ásia Central, ancestral da espécie “domesticada” pelo planeta afora (da espécie Malus domestica).

Com o passar dos séculos, a fruta alcançou fama mundial graças à Rota da Seda, um eixo comercial que, da antiguidade até o século 15, ligou a China ao Mediterrâneo – passando, é claro, por Almaty (capital do Cazaquistão) e suas famosas frutas. Nos arredores da cidade cazaque, as trocas econômicas ocorriam entre grupos étnicos muito diferentes, como Indianos, Árabes e Armênios, que voltavam para casa com suas maçãs favoritas e as usavam para criar suas próprias variedades.

Até a década de 1970, o Brasil apenas importava a fruta, vendida em unidades e pouco acessível. Com o trabalho dos produtores esta situação mudou e hoje o país é o 11º produtor mundial e tem maçã disponível o ano inteiro a preços populares. Tudo isso foi possível graças ao surgimento de produções de maçã em alguns municípios nos estados do Sul do país, região que costuma apresentar condições de clima favoráveis à produção.

E também com o surgimento da Associação Brasileira dos Produtores de Maçã (ABPM) em Porto Alegre, em 31 de janeiro de 1978. Na época em que foi fundada, cerca de 95% das maçãs ingeridas pelo brasileiro eram importadas. Isso tornava o consumo da fruta elitizado e implicava também na transferência de muitas riquezas para o exterior, já que, em relação à importação de alimentos, apenas o trigo superava a maçã.

A associação, que conta com produtores de Palmas/PR, São Joaquim/SC, Fraiburgo/SC (onde a sede se localiza desde 1992) e Vacaria/RS, tem como objetivos desde sua criação estimular a pesquisa para o desenvolvimento de pacotes tecnológicos para produção de maçã dentro das condições climáticas brasileiras; fomentar o investimento na implantação de pomares e packing-houses (espaços para processamento e embalagem pós-colheita); promover e popularizar o consumo da maçã nacional no Brasil.

Depois de quase 40 anos, o Brasil possui cerca de 33 mil hectares de pomares de maçã, uma produção anual próxima a 1,35 milhões de toneladas, com geração de R$ 6 bilhões em riquezas para o País e mais de 150 mil empregos diretos e indiretos. Atualmente, a cada dez maçãs consumidas no Brasil, nove são nacionais. A fruta é a terceira de maior consumo no País, de acordo com o IBGE. Segundo a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO), o Brasil está entre os 12 maiores produtores de maçã do mundo.

De modo geral, o Dia da Maçã (Apple Day) representa uma maneira de incentivar o consumo desta fruta e também de divulgar suas muitas propriedades medicinais. Dentre elas, baixar o colesterol, prevenir o diabetes, regular o funcionamento intestinal, retardar o envelhecimento e eliminar substâncias tóxicas do organismo.

Fontes: Superinteressante e ABPM

Você pode gostar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

O limite de tempo está esgotado. Recarregue CAPTCHA.