Cidades fluminenses não apresentam alto risco para Covid-19 desde o início do ano

Volta Redonda, cidade onde fica o Hospital Regional do Médio Paraíba, mesmo sob bandeira laranja, também apresentou redução na ocupação das UTIs (Foto: Arquivo)

Pela primeira vez desde o início do ano, nenhum dos 92 municípios fluminenses apresentaram alto risco para a transmissão da Covid-19. É o que revela a 51ª edição do Mapa de Risco da Covid-19, divulgada nesta sexta-feira, dia 8, pela Secretaria de Estado de Saúde (SES-RJ), que aponta redução de 35% nas internações por Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) e de 39% no número de óbitos provocados pela doença.

Alémn disso, pela sexta semana consecutiva, o estado segue com a classificação geral de baixo risco (bandeira amarela). A análise compara as semanas epidemiológicas 38 (de 19 a 25 de setembro) com a 36 (de 05 a 11 de setembro).

A taxa de ocupação de UTI passou de 48%, no levantamento anterior, para 45%; e a de enfermaria, de 24% para 23%, as menores desde o início do ano de 2021. Com isso, alguns leitos estão sendo revertidos para tratamentos de outras especialidades.

Das nove regiões do estado, sete estão em bandeira amarela, incluindo a do Médio Paraíba. Apenas as regiões Norte e Noroeste estão na faixa laranja e nenhuma está na vermelha. Seguindo a tendência do levantamento, tanto os quatro municípios da Região das Agulhas Negras (Resende, Quatis, Itatiaia e Porto Real) quanto Barra Mansa seguem sob bandeira amarela, e Volta Redonda está sob bandeira laranja (risco moderado para transmissão).

A Cidade do Aço ainda tem o índice de ocupação de suas UTIs em 37%, enquanto que em Resende esse índice é de 14%. Já entre os leitos de enfermaria, ambas as cidades estão com ocupação de 21%. Em Barra Mansa, a ocupação nas UTIs ficou em 18% e nas enfermarias em 20%.

O secretário de Estado de Saúde, Alexandre Chieppe, afirma que ainda é preciso avançar na vacinação, apontada por ele como principal fator da queda de casos e mortes.

– Esta é a segunda semana consecutiva que o estado do Rio registra o menor número de óbitos. Esse dado é muito importante porque mostra que a vacinação está fazendo efeito. Para que possamos continuar mantendo os indicadores baixos precisamos avançar agora na aplicação da dose de reforço dos idosos e profissionais de saúde – completa.

Você pode gostar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

O limite de tempo está esgotado. Recarregue CAPTCHA.