Produtor rural reclama de falta de atenção do poder público em Resende

Produtores que passam por estrada da Boca do Leão sofrem com alagamentos em período de chuva enquanto manilhas seguem largadas

“Falta de respeito com o produtor! A Prefeitura de Resende virou as costas para o produtor rural. Tá aí o desperdício do dinheiro público! Uma das centenas de bueiros entupidos das estradas rurais de Resende, esse aí está assim há anos… Na estrada da Boca do Leão, quando chove, a água passa por cima da estrada! Os produtores não aguentam mais!”.

O apelo destacado acima é de uma das postagens do produtor rural Ricardo Ferreira, que assina nas redes sociais como Ricardinho Mauá. Na foto da postagem publicada no último dia 26  aparecem algumas manilhas fora do lugar e um estrada com pontos de alagamento, na estrada da Boca do Leão. Já em uma segunda postagem, feita no dia seguinte, ele mostra outro problema que dificulta o escoamento da produção.

Na publicação, ele novamente critica o trabalho da prefeitura e do prefeito de Resende, Diogo Balieiro Diniz (DEM), dizendo que o “prefeito de Resende, além de virar as costas para o produtor rural, ainda causa prejuízos para os mesmos”. “Depois da minha publicação, a Prefeitura de Resende, ao invés de resolver o problema, criou outro problema para os produtores. Interditou a ponte! Interrompendo o trânsito de caminhões de leite, boiadeiro, ração, material de construção e muito mais… Parece brincadeira!”, critica.
Nas fotos da segunda postagem, três delas uma postagem de WhatsApp printada, acrescenta que o prefeito do município teria recusado a proposta do prefeito do município vizinho de Passa Vinte/MG, Lucas Nascimento de Almeida (PV), de cada prefeitura entrar com metade dos materiais necessários a reforma da ponte da localidade de Rio Preto, em Visconde de Mauá. Ao invés disso, interditou a passagem de caminhões e carros grandes e que dependem da ponte para transportar a produção colocando três manilhas no local.
Morador da região de Visconde de Mauá, Ricardinho relata ao jornal BEIRA-RIO que em cinco anos do atual governo municipal as estradas vicinais da localidade não receberam qualquer melhoria. Além disso, ele enumera quais são as maiores queixas em relação aos problemas das vias, necessárias para o escoamento da produção no município.

– A maioria das reclamações é relacionada a manutenção de pontes e especialmente de bueiros. Não tem mais bueiro nas estradas, ou melhor, 80% bueiros registrados estão entupidos, pois todo o material que se coloca na estrada as águas das enxurradas levam, e vêm causando erosões e valetas da noite para o dia – cita.

Produtores de Visconde de Mauá sofrem com interdição da ponte do Rio Preto, entre Resende e Passa Vinte/MG

O produtor ainda destaca a dificuldade em sensibilizar o poder público, mesmo que cada produtor tenha procurado por algum parlamentar do município pra ajudarem na solução desses problemas. “Todos fizeram várias reclamações, vários produtores procuraram os vereadores, cada um com com a sua particularidade. Cada um com seu conhecimento em vários vereadores diferentes. Mas infelizmente os vereadores só podem pedir, não podem obrigar a nada. Eles podem fazer uma indicação na câmara, mas isso não quer dizer solução do problema. Infelizmente, ele (o prefeito) não atendeu pedido de nenhum produtor e de nenhum vereador”.

Ricardinho ainda critica as dificuldades dos produtores em protocolar pedidos na prefeitura, e ainda assim, da falta de atenção do Executivo aos produtores.

– Em relação a protocolar pedidos na Prefeitura, infelizmente o produtor rural não tem tempo pra isso, pois trabalha o dia todo, de domingo a domingo. E essa desculpa de protocolar também que o poder público usa é uma piada, pois quando o prefeito vai sair candidato, ele escuta os produtores, toma café e bate papo. Depois que ele ganha aí já não escuta nem o produtor! E aí o produtor é tem que sair da sua localidade, parar o seu trabalho pra ir lá protocolar um documento, que também não é rápido porque o poder público não escuta!

Ele ainda destaca outras dificuldades para conseguirem utilizar o principal canal de comunicação da Prefeitura aos moradores. “E também tem vários produtores que não sabem ler, não sabem escrever, então como é que eles vão lá fazer esse tipo de reclamação? Eles ficam acanhados até de ir fazer isso, fora a distância, pois tem produtor cuja propriedade fica a 30 ou 50 quilômetros da Prefeitura. É um descaso total, porque na verdade essa distância e o tempo pra eles é complicadíssimo”, completa.

O jornal entrou em contato com a assessoria de comunicação da Prefeitura de Resende, que até o momento não retornou com os questionamentos feitos em relação aos produtores rurais.

Fotos: Reprodução/Redes Sociais

Você pode gostar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

O limite de tempo está esgotado. Recarregue CAPTCHA.