Liberação de ônibus na balança em Resende depende de colocação de uma placa!

Destruída num acidente, em julho do ano passado, a placa indicativa de liberação dos ônibus fretados pelas indústrias do Polo Industrial de Resende para pesagem na balança, que fica no quilômetro 301 da Rodovia Presidente Dutra deverá ser recolocada no prazo de até 45 dias, segundo a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT). A placa destruída no dia 05 de julho de 2020, depois de um acidente, criou uma dificuldade para os trabalhadores na volta para casa, pois dependendo do dia, chegam a ficar até 40 minutos na fila para pesagem. A liberação da pesagem foi conseguida pelo governo Rechuan em 2016.

A redação do BEIRA-RIO solicitou, pelo Portal da Transparência, informações à ANTT que respondeu: “… a liberação de pesagem para veículos de passageiros no posto de Resende, entre os horários de 05:30 às 08:00 e de 15:00h às 19:00h, ocorre desde o ano de 2016 por solicitação da Prefeitura Municipal de Resende, que na época encaminhou o Ofício 25/SMG/SUMTRAN/2016 com tal pedido”, mas sem a placa, donos de pequenas empresas de ônibus e o Sindicato dos Metalúrgicos do Sul Fluminense se mobilizou e solicitou ajuda às autoridades. Em outubro de 2016, as empresas de fretamento realizaram uma manifestação que travou o tráfego na pista sentido São Paulo da Rodovia Presidente Dutra.

Há um mês assistimos num vídeo, o secretário de Saúde de Resende, Alexandre Vieira e o prefeito Diogo Balieiro Diniz anunciando que “já na semana que vem essa situação vai estar definitivamente resolvida”, mas até hoje, dia 13/09, mais de um mês, os ônibus continuam parando e ficando em média cerca de 30 minutos na balança. Uma placa derrubada por acidente, depois de um ano, precisa de solicitações para ser recolocada, inclusive  como fez o deputado Noel de Carvalho, desde junho deste ano quando enviou ofício à ANTT e também em contato pessoal com a diretoria da Agência, pedindo celeridade para resolver o problema dos trabalhadores e trabalhadoras.

A ANTT ainda informou, através de seu gerente de Fiscalização, que a liberação não isenta os transportadores de cumprimento da legislação para garantir a segurança dos trabalhadores: “À época determinou-se a liberação da pesagem dos veículos coletivos de passageiros nos horários de pico de formação de filas no posto de pesagem de Resende. Tal medida trouxe melhorias à qualidade de vida dos trabalhadores do Sul Fluminense com a diminuição do tempo de deslocamento diário entre a residência e o trabalho, mas também trouxe maior segurança à operação do posto, evitando-se a formação de filas nos acostamentos e, consequentemente, liberações manuais da pesagem. Informo, ainda, que a liberação não isenta os transportadores de cumprir todo o regulamento de trânsito vigente e que a Prefeitura Municipal de Resende deve acompanhar e controlar os prestadores de serviço fretado e regular de passageiros.”

A liberação não é definitiva e nem desobriga uma parada se um agente da balança assim determinar: “A isenção de pesagem no período estipulado, para o transporte coletivo de passageiros, ocorre de maneira precária, podendo ser revogada integramente ou parcialmente a qualquer tempo pela ANTT ou por seus agentes, bastando para isso a sinalização manual do agente para que o condutor adentre às instalações e fiscalização”, conclui a informação da ANTT.

Fontes:
Foto – Google Maps
Link – outubro/2016: G1

Você pode gostar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

O limite de tempo está esgotado. Recarregue CAPTCHA.