PRF encontra animal silvestre morto na Via Dutra em Porto Real

Um animal silvestre foi encontrado morto na noite de quarta-feira, dia 4, na altura do km 294 no retão da Rodovia Presidente Dutra, em Porto Real. Segundo agentes da Polícia Rodoviária Federal (PRF) um cachorro-do-mato (Cerdocyon thous), animal da fauna silvestre local, estava no acostamento e apresentava vestígios de atropelamento por algum veículo que passava pela rodovia. O corpo do animal foi retirado com a ajuda de uma equipe da concessionária que administra a rodovia.

Segundo dados da PRF, que tem registrado vários atropelamentos com frequência nas rodovias da região, os fatores para a ocorrência desses acidentes variam de acordo com o habitat do animais, sendo que já existe no caso de bovinos e equinos o fator contribuinte são os animais deixados soltos pelos proprietários ou cercas em mau estado de pastos nas margens da via. Para isso, a polícia vem trabalhando para conscientizar os proprietários, .

Mas nos últimos anos esse tipo de acidente se reduziu bastante, graças a adoção de medidas preventivas com equipes tanto da PRF quanto da concessionária, vistoriando cercas e notificando os proprietários para realizar a manutenção, e a adoção de cercas separando a faixa de domínio da rodovia e as áreas das margens em áreas urbanas e rurais, dificultando a presença desses animais na Dutra.

No entanto, no caso de animais de médio e pequeno porte, tanto domésticos quanto silvestres, como cães, gatos, capivaras, tatus, gambás, lobos, raposas, aves e outros – e que é o caso do cachorro-do-mato encontrado no local – a PRF destaca que é mais complicado evitar acidentes, pois são animais que estão soltos em áreas próximas à rodovia e acabam indo para a pista porque estão circulando por ali, ou tentando atravessar a via, ou procurando algum alimento, e acabam sendo atropelados.

No caso de animais domésticos, a polícia cita que a existência de propriedades (casas, fazendas, sítios, etc.) nas proximidades da rodovia, onde alguns animais são criados soltos, contribui para essas ocorrências. Já em relação aos animais silvestres, se deve ao fato do ecossistema existente na região, com áreas de preservação, como o Parque Nacional de Itatiaia, e outras áreas de habitat natural estarem localizadas às margens da via, fazendo com que os animais dessas áreas acabam se aproximando da rodovia ou tentando atravessá-la, ocorrendo os acidentes.

SOBRE A ESPÉCIE
O animal se caracteriza por medir cerca de 65 cm de comprimento e ter cauda com aproximadamente 30 cm. A pelagem varia do cinzento ao castanho, com faixa de pelos pretos da nuca até a ponta da cauda; peito e ventre são claros e extremidades são pretas com pelagem curta. A espécie pode ser encontrada em todo o Brasil, exceto nas áreas baixas da bacia amazônica. No exterior aparece desde a Colômbia até o Paraguai, e também no Uruguai.

O cachorro-do-mato vive em áreas florestais, cerrados, campos e áreas alteradas e habitadas pelo homem, sendo que pode ser visto em margens de estradas, onde procura restos de animais atropelados e, por isso, é vítima frequente de atropelamento. O mamífero tem hábitos noturnos e solitários, mas é visto aos pares durante o período reprodutivo. Onívoro, alimenta-se de pequenas aves, pequenos roedores e mamíferos e também frutas, insetos, crustáceos (caranguejos de rios) e ovos. O período de gestação das fêmeas é de 52 a 59 dias, nascendo de três a seis filhotes.

Foto meramente ilustrativa

Você pode gostar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

O limite de tempo está esgotado. Recarregue CAPTCHA.