Carmem, Tonha e Ilídia: histórias em forma de poesias

Carmem (acima, à esquerda), Tonha (abaixo) e Ilídia (à direita), do Nicolino Gulhot tiveram suas histórias contadas em poesias (Fotos: Divulgação/Projeto Cultural Atitude)

Neste dia 26 de julho comemoramos o Dia dos Avós, uma data que o jornal BEIRA-RIO celebra mostrando um trabalho realizado pelo Projeto Cultural Atitude em lares que abrigam idosos de 14 municípios do estado do Rio de Janeiro. Um desses lares é o Asilo Nicolino Gulhot, onde desde o começo do ano, os integrantes do projeto têm realizado vídeo chamadas com esses moradores. Todo esse esforço para não perder a interação com os vovôs, vovós, tios-avôs e tias-avós dos lares resultou na produção do livro “Fábrica de Poesias – Lares de Idosos”, com textos inspirados na história de vida deles.

No abrigo resendense, os produtores do Atitude optaram por contar em forma de poesias a história de três internas, com destaque para Carmem Espinar Assaf de Mello, de 94 anos. Ela teve a sua história de luta pela realização do sonho de ingressar no mercado de trabalho contada no livro através da poesia “Entre Danças e Panelas”.

– A gente passou a conhecer um pouquinho da história dela e se encantou, é muito bonita, de uma mulher conquistando seu espaço. Que queria trabalhar e o pai não deixava, nem o marido, e mesmo assim ela persistiu e conseguiu depois de 40 anos. Então para nós é uma reflexão muito pertinente da mulher conquistando seu espaço – relata o idealizador do projeto, Tiago Dumard, responsável pela produção das poesias.

Ele descreve Carmem como uma mulher forte, decidida e sonhadora à frente do seu tempo. “É uma mulher muito doce, e que apesar da sua doçura não abriu mão de lutar por seu espaço e deixou um legado, uma história muito bonita para a gente contar. Eu tenho orgulho de poder dizer para minhas filhas que mulher hoje pode estudar, votar e até trabalhar, mas antigamente não era assim. Olha como foi difícil para a Carmem, ficou 40 anos querendo trabalhar e ela conseguiu!”.

Ela não foi a única idosa do Nicolino Gulhot a ter sua vida contada. O poeta cita também mais duas internas, Maria Antônia da Fonseca (Dona Tonha), de 86 anos, e Maria Ilídia da Costa, de 79 anos, dentro do mesmo trabalho.

– Na verdade não foi só a Carmem que teve a sua história contada. No lar de Resende nós tivemos também a Ilídia e a Tonha. A Ilídia tem memória de curto prazo, ou seja, ela lembra muito do que está acontecendo agora e que de vez em quando ela lembra de algumas coisas da vida e tal. Dessa forma surgiu um poema muito bonito, sobre o “Infinito Carpe Diem”, que mostra a importância de entender o agora como um presente de Deus. E no caso da Tonha, ela tem dificuldade de verbalizar, então ela acaba se comunicando muito com gestos, mostrando a língua, sorrindo e dançando, dando origem a um poema muito legal chamado “Miragem do Blá Blá Blá”, que realmente fala sobre o valor dos gestos, assim como a gente pode dizer muita coisa sem necessariamente precisar de muito blá blá blá – cita Tiago.

Criado há 21 anos, o Projeto Cultural Atitude realiza um trabalho voltado para o teatro, literatura, música e audiovisual. Uma dessas iniciativas inclui a realização de eventos presenciais em diversos lares de idosos do Brasil, com o intuito de trazer a alegria da arte para seus moradores. Com a pandemia, no entanto, essas visitas não puderam mais acontecer e surgiu a ideia de interagir pela internet.

A proposta da interação teve como objetivo, segundo Tiago, minimizar os impactos psicológicos causados pela falta de visitas e eventos culturais, fomentar a produção cultural da região, valorizar a história de vida dos idosos e democratizar a cultura. E desse trabalho resultou o livro, feito através de uma Oficina de Criação Poética voltada para Lares de Idosos do Estado do Rio de Janeiro, repleto de QR Codes que retratam essa interação.

Na região, além de Resende, o livro retrata histórias de idosos de lares em Três Rios (Casa de Repouso Lar São Jorge), Paraíba do Sul (Lar Vicentino) e Valença (Lar dos Velhos de Conservatória). O “Fábrica de Poesias” foi contemplado pela Lei Aldir Blanc, por meio do edital #RetomadaCulturalRJ, da Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa do RJ (Secec).

COMO OBTER O LIVRO
Para quem quiser conhecer a história das três idosas que vivem no asilo resendense, o livro está disponível de duas formas: de e-book, disponível para download gratuito através das redes sociais do Projeto Cultural Atitude, e o livro de papel (físico), que pode ser adquirido no Asilo Nicolino Gulhot, no bairro Parque Ipiranga, através da doação de fralda geriátrica. Outras informações pelos telefones (24) 99323-8986 e 3354-6264.

Você pode gostar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

O limite de tempo está esgotado. Recarregue CAPTCHA.