Segmento usuário do CMSR defende uso de leitos de antigo hospital por pacientes de covid-19

O segmento usuário do Conselho Municipal de Saúde de Resende (CMSR), junto com os Conselhos Regionais de Farmácia e de Psicologia divulgaram uma nota nesta terça-feira, dia 13, demonstrando preocupação com o crescimento de casos e mortes pela covid-19 no município. No documento, as entidades buscam “sensibilizar o prefeito Diogo Baleiro Diniz para evitar as transferências de pacientes do município para Hospital Zilda Arns, em Volta Redonda, e que esta seja a última medida quando não for possível” para acolher os doentes de Covid no município.

Para isso, o grupo defende o uso de 28 leitos no antigo hospital Mater abertos pela prefeitura no ano passado (na foto ao lado). “Os conselheiros deste segmento acreditam que a Secretaria Municipal de Saúde tem todas as condições de adotar mais medidas que coloquem estes leitos para funcionar, mas também sabemos que isso depende de decisão política. Por isso, mais uma vez a tentativa de sensibilizar o prefeito com esta manifestação”, cita a nota.

Outra solicitação feita pelo segmento e pelos conselhos é que haja uma fiscalização maior para o conntrole da pandemia em Resende. Entendemos todas as dificuldades do momento, mas não podemos nos omitir diante do crescente número de óbitos e de ações tímidas no controle de aglomerações em áreas de lazer, comércio e nas ruas da cidade. Notamos também que não há mais carros de som circulando na cidade e nem uma campanha permanente de comunicação para falar da importância do uso da máscara, por exemplo. Ações como essas são fundamentais para tentar reduzir o fluxo de pessoas nas ruas. Assim como, uma maior fiscalização do transporte público na cidade”.

Outros tópicos também são lembrados, entre eles a necessidade de medidas econômicas como colocar em prática projetos de economia solidária e apoio às famílias mais carentes, assim como a distribuição de cesta básica para os alunos da rede municipal de ensino. A exemplo do que vem pedindo sindicatos e associações de profissionais da educação, o segmento e os conselhos também defendem a suspensão das aulas presenciais e todo apoio logístico e de material aos professores e alunos para que as aulas remotas sigam sem problemas, até que os profissionais de educação estejam vacinados.

A nota se encerra solicitando maior transparência em dados da covid-19 em Resende, tanto no processo de vacinação quanto na ocupação de leitos e dos medicamentos necessários aos procedimentos de enfrentamento à doença.

“Solicitamos ainda maior transparência no processo de vacinação informando o quantitativo por faixa etária e prioridade já vacinados no município (1ª e 2ª doses). Tal como a divulgação do Boletim Covid apresentado diariamente, um boletim/planilha só para vacinação especificando o quantitativo por faixa etária, dia de vacinação, além das prioridades já contempladas, segundo classificação de outras prioridades. E também da ocupação dos leitos na cidade, sejam de enfermaria, sejam de UTI, da rede pública e privada, assim como dos medicamentos necessários aos procedimentos de enfrentamento à Covid-19”, finaliza.

Você pode gostar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

O limite de tempo está esgotado. Recarregue CAPTCHA.