Defesa Civil de Resende orienta para os riscos do banho em rios e cachoeiras

Com o intuito de prever acidentes nesta época do ano, a Defesa Civil de Resende está investindo na segurança dos banhistas que frequentam rios e cachoeiras no município, o órgão municipal está instalando placas com orientações de segurança em rios e cachoeiras, desde dezembro do ano passado, devido ao período de verão e as frequentes visitas de turistas e moradores da região.

Na última segunda-feira, dia 11, o aviso foi instalado na região do Rio da Pedra Preta, que fica no distrito de Vargem Grande. As equipes do órgão já instalaram as placas de orientação em outros cinco pontos do município, sendo eles: cachoeira do distrito da Fumaça; prainha em Visconde de Mauá; no encontro dos rios Marimbondo com Rio Preto, em Visconde de Mauá; Usininha, também em Visconde de Mauá; e cachoeira na região da Boca de Rêgo.

Segundo o diretor-geral da Defesa Civil, Flávio Germano da Silva esta ação é preventiva e busca orientar e repassar os cuidados que os turistas e frequentadores devem ter em rios e cachoeiras da região para que seja um momento de lazer seguro.

– Nestas placas são encontradas dicas que toda a população deve seguir como: sair da água em casos de raios e trovões e buscar local seguro como veículos; não deixar crianças sozinhas; tomar cuidado com pedras escorregadias; não mergulhar de cabeça. Entre outros cuidados para que todos tenham diversão, mas de forma segura e sem riscos de acidentes – frisou Flávio Germano.

A Defesa Civil também lembra que além destas orientações para evitar acidentes, também é importante verificar a profundidade dos rios e cachoeiras antes de entrar com as crianças. Em casos de ferimentos, lavar as mãos com água e sabão e cobrir com gazes. Em caso de afogamentos, o órgão orienta a não entrar na água para realizar o socorro. É recomendado que busque ajuda e jogue algum material de flutuação para parar o afogamento e que a vítima consiga se agarrar. Em qualquer caso de emergência, a população pode ligar para o número 193.

As medidas visam evitar um triste episódio ocorrido há quase dois anos no município vizinho de Itatiaia. Em 2o de janeiro daquele ano, duas pessoas foram encontradas mortas após a formação de uma cabeça d’água no rio Campo Belo. A jovem Júlia Machado Miranda, de 18 anos (na foto), moradora da região, e José Soares, de 55 anos, tiveram seus corpos encontrados no dia seguinte, no local conhecido como Paraíso Perdido, que fica no trajeto do Parque Nacional do Itatiaia.

Segundo relatos nas redes sociais, choveu na tarde do dia da tragédia na região do Pico das Agulhas Negras, a mais de 2.400 metros de altitude, local da nascente do rio Campo Belo, o que favoreceu a formação da cabeça d’água.

“OPERAÇÃO VERÃO”
Mesmo com a alta no número de casos confirmados de covid-19 e mortes, o município de Resende segue com a “Operação Verão”, que começou no último final de semana, nos dias 9 e 10. A ação tem como objetivo conscientizar os moradores e frequentadores da Serrinha sobre a importância da preservação ambiental, além de coibir o estacionamento irregular nas vias públicas. Embora as ações sejam realizadas principalmente na região da Serrinha do Alambari, de acordo com o secretário Municipal de Indústria, Comércio e Turismo, Tiago Diniz, outros locais, como Mauá, também receberão a ação nos próximos finais de semana, entre às 9 e 16h.

A “Operação Verão” envolve, ao todo, quatro setores da Prefeitura a Secretaria de Indústria, Comércio e Turismo, a Agência do Meio Ambiente de Resende (Amar), a Guarda Ambiental e a Guarda Civil Municipal. Durante o trabalho conjunto, equipes da secretaria e da Amar ficaram no pórtico da Serrinha orientando os visitantes com a distribuição de folhetos educativos, enquanto o trabalho da GCM fica concentrado nas vias públicas.

Além da parte organizacional e informativa da operação, as equipes também reforçam os cuidados necessários neste período de pandemia. Entre as medidas de segurança reforçadas pelas equipes estão: a utilização de álcool 70%, distanciamento e orientações sobre a importância de evitar aglomerações.

Fotos: Arquivo e Divulgação/PMR

Você pode gostar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

O limite de tempo está esgotado. Recarregue CAPTCHA.