Catando os cacos – o vídeo da reunião ministerial

Teve bolsomínio vibrando com a tal fita da reunião ministerial divulgada, quase na íntegra, nesta sexta-feira, dia 22. É que viram seu ídolo falando com eles como se estivesse num palanque eleitoral. Tirando isso, ficou claro o que todos sabíamos, com relação à tentativa do pseudopresidente intervir na Polícia Federal, do Rio. Os trechos divulgados anteriormente pelo ex-ministro Moro adiantavam isso. Não muda nada. Se Congresso e STF quiserem, o mito dança. Ou melhor, se os donos do país, a elite econômica quiser. Mas o que se percebeu com o vídeo, quase na íntegra, é como pensa e age o âmago desse governo federal.

Da reunião, totalmente inútil, que só existiu para o presidente dar bronca geral, reclamar que sua família e amigos devem ser protegidos, falar um monte de palavrões e se incriminar, salvaram-se as participações de alguns ministros, que superaram até o ‘chefe’ em termos de diarreia verbal e descompromisso com o que é gerir um país. Primeiro que em meio à maior crise sanitária da nossa história, não se falou nada, não se planejou nada para enfrentar a pandemia. O que houve foram umas sutis e carinhosas lembranças a dois governadores, e, ex-apoiadores de campanha, como ‘Witzel Estrume’ e ‘Dória Bosta’. Repetindo, sequer um esboço de plano, uma estratégia mínima que fosse. Por que o enfrentamento de uma pandemia não é pauta de uma reunião do presidente com seus ministros?

Mas as falas dos ministros ajudaram a dar caldo à reunião. Paulo Guedes, da Fazenda, o sempre poupado pela Globo, disse algo que deve ter deixado pequenos empresários muito felizes: “Nós vamos ganhar dinheiro usando recursos públicos pra salvar grandes companhias. Agora, nós vamos perder dinheiro salvando empresas pequenininhas”. Coisa linda. E claro, a pérola ao abordar seu desejo de vender o Banco do Brasil: “O senhor já notou que o BNDES e a Caixa que são nossos, públicos, a gente faz o que a gente quer. O Banco do Brasil a gente não consegue fazer nada e tem um liberal lá. Então, tem que vender essa porra logo”, disse em fala direcionada a Bolsonaro. É mole?

Dona Damaris fez um discurso de ameaça ao dizer que o governo está subindo o tom e que depois da pandemia, vai ter pedido de prisão a governadores e prefeitos. Ôba! Festival de prisões, que continuou com essa preciosidade que é o ministro da Educação, o Weintraub: “tem que prender todos esses bandidos, começando pelo STF”. Que show, né não? E para terminar, a fala do ministro do meio ambiente, Ricardo Sales, que vai ajudar ainda mais a nossa imagem no exterior. Disse ele: “Precisa ter um esforço nosso aqui enquanto estamos nesse momento de tranquilidade no aspecto de cobertura de imprensa, porque só fala de COVID e ir passando a boiada e mudando todo o regramento e simplificando normas. De IPHAN, de ministério da Agricultura, de ministério de Meio Ambiente, de ministério disso, de ministério daquilo. Agora é hora de unir esforços pra dar de baciada a simplificação, é de regulatório que nós precisamos, em todos os aspectos.” Que show, moçada! Nem em reunião de bloco carnavalesco vi tanto despojamento e naturalidade. Foi um dos vídeos mais representativos do que pode fazer um bando de nadas. Sensacional. Dou nota 8,5.

Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

Você pode gostar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

O limite de tempo está esgotado. Recarregue CAPTCHA.