Vacinação contra Febre Aftosa vai até o dia 31 nos municípios da região

Até o dia 31 de maio acontece na região a campanha de vacinação do gado contra a febre aftosa. Em Quatis, a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Rural alerta os produtores do município de que a campanha para vacinar o rebanho bovino e bubalino (búfalos) é obrigatória e que os produtores que não apresentarem o certificado de vacinação às autoridades sanitárias poderão ser impedidos de comercializar o gado e os produtos derivados do rebanho, principalmente, leite e carne.

Segundo o diretor de Agricultura da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Rural, Rogério de Abreu Torres, salienta que os próprios produtores rurais são responsáveis pela imunização dos seus respectivos animais. “Nesta etapa, todos os animais, independente da idade, deverão ser vacinados. As doses de vacinas devem ser adquiridas em estabelecimentos comerciais da cidade e da região, credenciados pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento”, explica o diretor.

Após imunizar os animais, os produtores devem apresentar o certificado de “Declaração de Vacinação e Atualização de Cadastro”, na Secretaria de Desenvolvimento Rural do Município, que funciona no primeiro andar do prédio da Prefeitura de Quatis, de segunda a sexta-feira. Nesse período de pandemia do Covid-19, a Secretaria está realizando o atendimento em horário reduzido, de 10 às 14 horas. Outras informações podem ser obtidas pelo telefone 3353-6282.

Em Resende, a prefeitura também realiza a campanha até o dia 31 de maio. Para efetuar a imunização, o produtor precisa comprar a vacina em resfriamento em lojas agropecuárias credenciadas. A aplicação, no entanto, também pode ser solicitada através da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Rural. O contato para solicitar a aplicação e tirar outras dúvidas sobre a campanha pode ser feito por telefone através do número (24) 3360-7502.

– A doença, infelizmente, não tem cura e também pode ser transmitida ao homem. Nos casos em que há um animal infectado, a recomendação é para que seja feito o sacrifício. Por isso, é fundamental fazer o controle sanitário da zoonose e que os produtores estejam atentos ao prazo da campanha – explica o secretário de Desenvolvimento Rural, Vinicius Cibien.

O secretário destacou a importância da nota fiscal da compra das vacinas, que deve ser levada junto ao Núcleo de Defesa Sanitária Animal. No local, semestralmente, o produtor precisa declarar o número de animais nascidos e mortos. A campanha é dividida em duas etapas, sendo a primeira em maio, até o dia 31, na qual são vacinados todos os animais, e a segunda etapa, em novembro, na qual são vacinados todos os animais de até 24 meses de idade. Toda a documentação deve ser armazenada com os devidos cuidados pelos produtores.

SOBRE A DOENÇA
A febre aftosa pode levar o animal à morte, e o único caminho para evitá-la é mesmo a aplicação da vacina, que deve ocorrer nas proximidades do pescoço do animal. Os sintomas principais da doença no gado são febre; aftas na boca, tetas e entre as unhas. Os animais que tiverem contraído a doença normalmente também se isolam, babam muito, arrepiam demasiadamente o pelo, param de se alimentar e enfraquecem, entre outras consequências.

Foto: Divulgação/PMQ

Fontes: Coordenadoria de Comunicação Governamental (PMQ) e Assessoria de Comunicação (PMR)

Você pode gostar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

O limite de tempo está esgotado. Recarregue CAPTCHA.