Audiência pública sobre transporte da Prefeitura de Resende é marcada por ausência de prefeito

A audiência pública realizada para discutir a nova concessão do transporte público em Resende na noite de quarta-feira, dia 12, no Espaço Z, ficou marcada por críticas dos participantes à ausência do prefeito Diogo Balieiro (DEM), lembrada durante a manifestação de três pessoas. Uma delas foi o presidente da RPPN Agulhas Negras, Eliel de Assis Queiroz, que aproveitou também para questionar a organização do evento.

– Em primeiro lugar quero deixar registrada aqui a minha decepção em face da ausência do prefeito. Este é um assunto de extrema relevância, não se justifica a ausência do prefeito! É lamentável! Em relação as minhas perguntas, gostaria que as respostas viessem dentro do prazo regimental de 20 dias, com mais 10 dias de prorrogação de prazo. Eu me sinto incompetente de formular qualquer pergunta em face do que foi apresentado aqui! – protestou Eliel.

Mesmo com o desabafo, ele questionou a prefeitura sobre o porquê não dar ampla e prévia publicidade aos documentos a serem debatidos na audiência; por que quis organizar essa audiência em espaço fechado, e restrita a poucas pessoas em horário inadequado, e também por que não realiza até três audiências públicas nos bairros nos finais de semana, entre outros questionamentos. Além dele, outras pessoas presentes ao auditório também lamentaram em suas manifestações a ausência do prefeito, entre elas os vereadores Odair Ozório, Renan Marassi, Caio Sampaio e Soraia Balieiro, e também o ex-prefeito de Resende Silvio de Carvalho, que disse ter sentido a ausência de mais pessoas participando. “A ausência do prefeito daqui e a presença do prefeito da cidade vizinha mostra falta de transparência, e um espaço limitado e fechado pra participação da população nesse evento”, respondeu Carvalho, aproveitando a presença do prefeito de São José do Barreiro, Alexandre de Siqueira Braga.

Quem também aproveitou para fazer críticas, dessa vez voltadas aos proprietários da Viação São Miguel, foi o multiartista Luis Lindão, que foi rápido em seu questionamento. “Tem circulado nas redes sociais que o dono da São Miguel também é proprietário de outras empresas de ônibus, com outros nomes e outras cores. E vai participar da próxima licitação. Existe alguma condição no edital para que isso não aconteça?”, perguntou.

Além da ausência do prefeito, o maior número de críticas foi direcionado à empresa, entre elas criticando o atendimento precário aos passageiros, com ônibus velhos, quebrados ou apresentando defeitos, e a falta de uma linha de ônibus que ligue Resende a localidade rural do Sertãozinho também não foi esquecida (citado pelo vereador Odair Ozório). Também foram lembrados pelos participantes a necessidade de se fazer mais audiências públicas sobre o assunto.

– Moro no Mirante da Serra e uso diariamente o transporte público pra ir ao trabalho. Nosso bairro é atendido, mas muito mal atendido. Só contamos com uma linha, que passa de uma em uma hora, e os carros quebram toda hora e me faz atrasar pra chegar ao serviço. Sugiro uma integração das linhas para atender melhor ao nosso bairro, pois muita gente também precisa desses ônibus – disse a funcionária pública Cintia Rangel.

O evento foi realizado no auditório do Espaço Z, mas devido a grande presença de público e da pequena capacidade do local, foi improvisado uma espécie de segundo auditório com cadeiras, sonorização e projeção de imagens do auditório em um telão na área principal do espaço cultural. No começo, o espaço chegou a ter uma boa quantidade de público, que foi diminuindo à medida que a audiência era realizada. Na ocasião, foi apresentado o estudo relacionado ao futuro sistema de transporte coletivo, realizado por uma empresa licitada e especializada em planejamento e consultoria de trânsito.

Os participantes tiveram a opção de enviarem suas perguntas através de um formulário de manifestação ou de se manifestarem fazendo o uso da palavra. Ao final do evento, integrantes da mesa e técnicos responderam a alguns questionamentos colocados pela plateia. Ainda assim, segundo a Prefeitura, dá tempo para quem não participou do evento enviar os questionamentos e sugestões até o até dia 19 de fevereiro para o e-mail sumtranresende@gmail.com. O formulário pode ser encontrado clicando aqui. As respostas dos requerimentos devem ser divulgadas para os interessados no dia 16 de março deste ano, no site da Prefeitura.

 

Foto: Gleisiane Carvalho/PMR

Você pode gostar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

O limite de tempo está esgotado. Recarregue CAPTCHA.