Resende realiza mês de conscientização sobre a hanseníase

Entre os dias 14 e 29 de janeiro, acontece em Resende o Janeiro Roxo, considerada uma campanha de conscientização sobre a hanseníase, realizado pela Prefeitura de Resende, através do Programa de Tratamento da Hanseníase, da Secretaria de Saúde. Durante o período, o programa da prefeitura realizará ações educativas para a população se informar sobre a doença. No município, estão previstas orientações, atendimentos e palestras em alguns locais do município buscando o diagnóstico precoce e a conscientização das pessoas.

As atividades começam no dia 14 (próxima terça-feira), quando acontecerá uma palestra com profissionais do Programa de Tratamento da Hanseníase (SAI) sobre a campanha Janeiro Roxo, a partir das 9h, no Centro Pop (Centro de Referência Especializado para a População em situação de rua), localizado na Rua do Rosário, no bairro Lavapés.

Dia 22 (quarta-feira), os profissionais do Programa de Tratamento da Hanseníase de Resende estarão no PSF Primavera, orientando os pacientes que estiverem na unidade e atendendo as pessoas que apresentarem manchas no corpo, de 8 às 12h. Na última semana, o evento se encerra com palestras no dia 28, com os usuários do Cras Lavapés, a partir das 14h, e no dia 29, com os usuários do Caps AD, realizadas com a assistente social do programa de Hanseníase, às 9h.

A hanseníase é uma doença infecciosa e atinge mais de 30 mil pessoas ao ano no Brasil, podendo deixar sequelas graves no organismo quando não há o diagnóstico precoce. A doença é transmitida pelas vias aéreas, ou seja, através da tosse ou espirro.

Segundo a coordenadora do Programa de Tratamento da Hanseníase (SAI), Aliny dos Passos Reis “pode-se suspeitar da doença quando a pessoa apresenta manchas no corpo de coloração vermelha, amarela, marrom ou branca; ou nódulos com alteração de sensibilidade. Os pacientes devem procurar a unidade de saúde mais próxima ou o programa de hanseníase para avaliação”.

Entre os outros sintomas estão: diminuição da força muscular da face, mãos e pés; febre, edemas e dor nas juntas; ressecamento dos olhos. O tratamento da doença é feito com medicamentos que podem durar de seis meses a um ano. Por esse motivo, o Ministério da Saúde reconheceu o mês de janeiro e definiu a cor roxa para a campanha de combate, iniciada no ano de 2016.

A coordenadora do SAI indica os serviços que Resende oferece à população.

– O programa oferece a investigação e tratamento da doença, acompanhamento dos pacientes, avaliação dos contatos intradomiciliares, administração de medicamentos, realização de exames especializados, acompanhamento dos pacientes na Atenção Terciária, quando necessário e atendimento com equipe multidisciplinar – disse Aliny dos Passos Reis.

Foto: Gleisiane Carvalho (PMR)

Você pode gostar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

O limite de tempo está esgotado. Recarregue CAPTCHA.