Quatis dá salto de qualidade no saneamento básico nos últimos seis anos

Nos últimos seis anos, Quatis conseguiu superar vários municípios do estado do Rio de Janeiro, incluindo cidades da região metropolitana, quando o assunto é saneamento básico. Com o final do ano de 2019, o município da Região das Agulhas Negras – que até o ano de 2012 não dispunha de tratamento de esgoto – deu a volta por cima, segundo dados fornecidos pela Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan) de mais de 70 municípios de todo o território fluminense.

Enquanto Duque de Caxias e Rio de Janeiro apresentaram no último relatório da Firjan taxas de tratamento de esgoto entre 7,1% e 44,5%, no município de menos de 14 mil habitantes esse índice chegou a 60%, quase o dobro da média estadual, que é de 34,2%.  Esses números foram conquistados em poucos anos graças ao investimento realizado pelo governo local.

Desde o ano do primeiro mandato do prefeito Bruno de Souza (MDB), Quatis apostou pesado não apenas nos serviços de tratamento, como também o de coleta de esgoto e de abastecimento de água, que já contemplam 100% da população local. Nos últimos seis anos, foi recuperada a estação de tratamento do bairro Barrinha, as estações elevatórias, os aproximadamente dois quilômetros da rede coletora e as colunas de sustentação da rede coletora; a limpeza do reservatório de São Joaquim e as religações da rede junto aos imóveis domiciliares.

Segundo dados da Coordenadoria de Comunicação Governamental da Prefeitura de Quatis, durante todo esse tempo, os investimentos do poder público na área de saneamento básico já passam de R$ 20 milhões, tanto nas obras e serviços realizados para ampliar o abastecimento de água potável, quanto no setor de coleta e tratamento de esgoto.

Para o ano de 2020, será construído um novo reservatório de água com recursos próprios da Prefeitura, da ordem de R$ 1, 5 milhão. Com isso, os investimentos realizados em saneamento básico até o próximo ano passarão de R$ 22 milhões.

Para a realização dos investimentos, o governo local contou com um investimento de cerca de R$ 9 milhões provenientes de um convênio com o Governo do Estado do Rio de Janeiro, outros cerca de R$ 7 milhões liberados através de uma parceria entre a prefeitura e a Fundação Nacional de Saúde (Funasa) e aproximadamente R$ 4 milhões correspondentes aos recursos próprios da administração municipal.

OUTROS MUNICÍPIOS
Enquanto isso, o município vizinho de Resende também apresenta resultados bem próximos aos de Quatis. A concessionária Águas das Agulhas Negras, que assumiu a prestação de serviços de abastecimento de água e tratamento de esgoto local, trabalha com o atual índice de cobertura com o serviço de esgoto tratado de 72%, mais do que os 62% destacados pelo levantamento da Firjan (feito em 2017).

Em nota, a empresa informou que a estimativa é que nos próximos três anos, o percentual de esgoto tratado da cidade, que era de apenas 3% no início das atividades da concessionária, chegará a 90%, com a implantação da Estação de Tratamento de Esgoto Ipiranga. Atualmente são 10 estações de tratamento de esgoto em operação, atendendo quase 70 bairros. A cobertura da coleta de esgoto, assim como o abastecimento de água, chega a pouco mais de 95%.

Já em Porto Real, o tratamento de esgoto fica em 33%, enquanto que em Itatiaia – onde aa administração dos serviços de tratamento da água e esgoto é do próprio governo – não há esse tipo de serviço disponível. A cobertura de abastecimento de água é de 97% e 95%, respectivamente, enquanto a coleta de esgoto fica em 62,5% em Itatiaia e em 96,8% em Porto Real.

Foto: Divulgação/PMQ

Você pode gostar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

O limite de tempo está esgotado. Recarregue CAPTCHA.