Bombeiros confirmam duas mortes em cabeça d’água de Itatiaia

Atualizado às 12h32

O Corpo de Bombeiros confirmou no final da manhã desta segunda-feira, dia 21, que foi encontrado o corpo da moradora de Resende, Júlia Machado Miranda, de 18 anos. Ela foi uma das duas vítimas fatais da formação de uma cabeça d’água na tarde de domingo, dia 20, no local conhecido como Paraíso Perdido, que fica no trajeto do Parque Nacional do Itatiaia, em Itatiaia.

Neste momento, o corpo da vítima, que teria sido encontrado a 300 metros do local da tragédia, segue para o Instituto Médico Legal (IML). Antes da confirmação da morte, familiares e amigos chegaram a postar nas redes sociais nesta segunda-feira que receberam informações de que a jovem de Resende teria morrido antes do corpo ser encontrado.

Alguns deles aproveitaram, em post nas redes sociais, para pedir que as pessoas parassem de compartilhar informações sobre a suposta morte de Júlia. “Gente, por favor, não compartilhem notícias sem saber a veracidade (…) Nós estamos aflitos esperando por respostas, e toda hora alguém vem confirmando o falecimento. Nós não temos notícias, estamos no aguardo. Enquanto isso eu peço que orem para que tudo seja esclarecido”, relatava uma das postagens.

Além da jovem, também foi encontrado o corpo de José Soares, de 55 anos. Segundo informações da imprensa local, o corpo dele já foi reconhecido por familiares e aguarda liberação por parte da família. Ainda de acordo com as primeiras informações, o velório e enterro deverão acontecer no estado de São Paulo.

A jovem foi encontrada durante buscas no local realizadas pelos bombeiros desde as primeiras horas da manhã de segunda. Segundo relatos nas redes sociais, choveu na tarde de domingo na região do pico das Agulhas Negras, a mais de 2.400 metros de altitude, local da nascente do rio Campo Belo, o que favoreceu a formação da cabeça d’água.

– Ontem a tarde choveu muito lá e daqui da parte baixa, Vila Pinheiro, Centro, víamos a serra branca de chuva e muitas trovoadas, esse era o momento que as pessoas aqui em baixo das cachoeiras Itaporani, Maromba, Piturendaba, Poranga, Lago Azul, Paraíso Perdido, Conora e Fazenda Aleluia deveriam sair de dentro do rio e ir pras margens. Mas as pessoas não acreditam no perigo. E quando a água chega, é muito rápido. Não dá tempo pra nada, sem falar nas pedras e madeiras que vêm rolando junto. É uma pena, mas uma vez perdemos vidas nessa brincadeira e lazer de muitos – desabafou um usuário que testemunhou a tragédia.

José Soares foi a primeira vítima encontrada após tragédia

PREFEITURA E DEFESA CIVIL TRABALHAM EM BUSCAS
A Prefeitura de Itatiaia divulgou uma nota no final da manhã desta segunda, informando que “segue acompanhando o trabalho de busca dos desaparecidos após a cabeça d’água que atingiu a região da cachoeira do ‘Paraíso Perdido’ no final da tarde de ontem (dia 20)”. Os trabalhos continuam sendo realizados até que se descarte quaisquer possibilidades de resgate das vítimas desaparecidas.

A nota ainda destaca que homens do Corpo de Bombeiros, da Defesa Civil e da Guarda Municipal estão trabalhando no local, nas buscas pelos desaparecidos e fazendo o controle do trânsito no local. Paralelamente, uma psicóloga do Centro de Atenção Psicossocial também está no local dando suporte aos familiares que estão acompanhando as buscas. A nota ainda cita que “diante do ocorrido a Prefeitura se solidariza com os familiares neste momento de perda e dor”.

A Prefeitura – contrariando as críticas feitas em relação à falta de sinalização no local da tragédia – informou que fixou em 2017 placas de alertas nos balneários e cachoeiras da cidade para sinalizar os principais pontos com índices de acidentes. Já a Defesa Civil acrescenta que para qualquer informação sobre desaparecidos o contato deve ser feito diretamente com o Corpo de Bombeiros pelo telefone 193.

Fotos: Reprodução/Redes Sociais

Você pode gostar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

O limite de tempo está esgotado. Recarregue CAPTCHA.