Os imbróglios da Câmara de Resende: nem tudo que parece é!

O vereador Hick Sene garante que sua saída se deu principalmente por motivos pessoais, mas a política também pesou. “Eu não quero mais brigas, quero sair disso”, disse o vereador do PSD. A confusão que se instalou na Câmara Municipal de Resende protagonizada pelo presidente Roque Cerqueira (PDT) passou tanto dos limites que tem vereador buscando intervenção judicial. Foi o que fez o vereador Reginaldo Engenheiro Passos (PSB) ao entrar o dia 19/04 com mandado de segurança contra a Mesa Diretora por abuso de poder.

E abuso de poder é o que não falta ultimamente na Câmara. Cerqueira não enfrenta os debates, se levanta, encerra a sessão no peito e sai falando que conhece a vida de todos os vereadores. Tudo devidamente gravado. Esse tipo de insinuação pouco ajuda à população que já prefere não ir assistir as sessões legislativas. De fato, o Legislativo tem promovido sessões circenses. Uma vergonha o que temos assistido.

Mas há quem coloque as barbas de molho em cada passo entre os vereadores. Não se descarta que a saída de Sene seja mais uma estratégia do grupo de Cerqueira que tem conversado bastante com prefeito Diogo Balieiro Diniz. No balaio, tem a possível ida do vereador Tisga para o governo, as readmissões dos CCs dos vereadores, agora a saída de Sene da Mesa Diretora. O que pode parecer desfragmentação pode ser só recuo pontual para nova eleição da Mesa Diretora e uma nova eleição já viu, né? Tudo é possível!

Ana Lúcia
editora do jornal BEIRA-RIO
Blog da Ana Lúcia (alcs.wordpress.com)

Você pode gostar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

O limite de tempo está esgotado. Recarregue CAPTCHA.