Situação de estradas piora e Exército é chamado pra ajudar em Resende

Moradores do distrito da Serrinha e que vivem próximo a Serra do Eme (nos distritos da Fumaça e de Vargem Grande), em Resende, também estão sofrendo com a forte chuva que cai na região. A exemplo do que vem acontecendo na RJ-163, estrada de acesso a Visconde de Mauá, as inundações e deslizamentos de encostas também trouxeram transtornos às três localidades entre a noite de domingo, dia 4, e a madrugada de segunda-feira, dia 5.

Na Serrinha, o temporal aumentou o nível do rio Roncador, que banha o distrito, e inundou várias casas (foto à direita). A Serra do Eme, outra via de acesso para Visconde de Mauá, também sofre com a ação da natureza (à esquerda). Um veículo de passeio ficou atolado depois de ser atingido por um deslizamento de terra. O jornal BEIRA-RIO entrou em contato com a Defesa Civil de Resende, que através de seu diretor Atanagildo Alves, confirmou que as localidades seguem sofrendo com o problema.

O diretor também acrescentou que a Defesa Civil está trabalhando em parceria com o Exército, que está avaliando as condições e auxiliando na desobstrução das estradas dos distritos. Além disso, o órgão informou que está fazendo o resgate da população que acabou sendo desalojada de suas casas na localidade de São Januário.

Na Rj-163 a rodovia de acesso a Visconde de Mauá segue interditada. Uma funcionária da empresa de ônibus que faz a linha Resende-Maromba informou que os carros não estão trafegando e que o acesso para Mauá (RJ-163) está liberado apenas para veículos de passeio até às 18 horas.

Municípios vizinhos também decretaram estado de alerta com o aumento de volume dos rios da região. É o caso de Barra Mansa (foto), que é banhada pelos rios Bananal, Bocaina e Paraíba do Sul, este último também passa por Resende. Segundo informações da defesa civil local, o alto volume de chuva do fim de semana em cidades paulistas (Bananal, São José do Barreiro e Arapeí) e em Resende fez com que os rios tivessem seus níveis elevados causando transbordamento das margens e alagamentos na Rua das Acácias, no bairro Colônia São Antônio. Mesmo assi, não houve registro de prejuízos materiais às residências ribeirinhas.

Segundo o diretor do órgão local, Serginho Bombeiro, o temporal no fim de semana na região de Visconde de Mauá e Fumaça, em Resende, aumentou quase dois metros o nível do Rio Paraíba do Sul na cidade. Na sexta-feira, o nível do Paraíba do Sul estava em 2,69 metros. Mas depois da chuva em Visconde de Mauá e Fumaça, o nível subiu quase dois metros alcançando a marca de 4,08 metros.

SAAE DE BARRA MANSA PEDE A POPULAÇÃO QUE ECONOMIZE ÁGUA
A cheia provocada pela chuva obrigou o Saae (Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Barra Mansa) a paralisar, temporariamente, as Estações de Tratamento de Água (ETAs) do bairro Colônia Santo Antônio e do distrito de Floriano por conta da turbidez da água registrada nessas localidades que ocasionou, respectivamente, as cheias dos Rios Bananal e Paraíba do Sul.

A recomendação do Saae-BM é que os moradores dessas localidades economizem água até que a qualidade da mesma se normalize e seja possível o tratamento apropriado e a distribuição às residências.

De acordo com o Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (CPTEC) e Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), a previsão para essa semana na região é de pancadas de chuva no final da tarde e início da noite, o que aumenta as chances de novas inundações e quedas de barreiras.

Fotos: Reprodução/Redes Sociais e Paulo Dimas/PMBM

Você pode gostar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

O limite de tempo está esgotado. Recarregue CAPTCHA.