Porto Real ganha reforços para preservar culinária dos imigrantes

culturaitaliana2No último final de semana, foi realizada a 17ª edição da Festa da Cultura Italiana de Porto Real. Este ano, pela primeira vez, os jantares e o tradicional Almoço della Mamma, este último servido no domingo do evento promovido pela Associação Vittorio Emanuele II, contou com os reforços da primeira turma formada pela Oficina de Culinária do projeto Condomínio Cultural de Porto Real.

– Esta é uma tradição que mantemos há mais de 40 anos em nosso município, mas temos que pensar no futuro da cultura de nossa terra, e por isso temos que passar o que sabemos para as futuras gerações. isso tudo fazemos pela comunidade, todo esse grupo que trabalhou conosco são de alunos formados na oficina – explica a professora da oficina, Vergínia Dezós (foto).

Descendente de italianos e franceses, Vergínia nasceu e foi criada em Porto Real, há 35 anos trabalha com confecção de massas (spaghetti, caplão e capelletti, estas três servidas no evento, entre outros pratos), e também esteve participando da tradicional festa trabalhando na preparação dos pratos típicos dos primeiros imigrantes que chegaram ao município, junto com oito alunos recém-formados e outros três assistentes.

Toda a preparação dos pratos levou três meses para ficar pronta. “Primeiro, a gente produziu todas as massas servidas na festa com antecedência na sede da Vittorio Emanuele (com exceção do capelletti, que precisa ser feito às vésperas de servir por ser mais perecível) com farinha de trigo e ovos, e depois congelamos para guardar e fazer no dia da festa. E a poucos dias do evento, a gente prepara os molhos e outros complementos para servir”, responde Vergínia.

A oficina costuma ter uma grande procura, tanto que a próxima turma começa as aulas em agosto, segundo a integrante da associação e coordenadora de Cultura da Secretaria de Educação, Esporte, Lazer e Cultura de Porto Real, Maristela Fonseca e Silva. A primeira turma formou 24 alunos, a segunda formou 16, e a próxima já conta com 30 alunos. “Esses 30 alunos são os que já conseguiram inscrições em nossa oficina, fora as mais de 30 inscrições que estão em lista de espera”, acrescenta.

O curso tem duração de pouco mais de 12 meses, e as aulas acontecem na cozinha da Casa do Imigrante, tendo como objetivo ensinar passo a passo aos moradores do município como fazer massas, pães e molhos, além de outros segredos característicos da culinária da província de Modena (macarrão, lasanha, canelloni, ravióli, etc.), terra de origem dos imigrantes de Porto Real.

culturaitaliana3
O tradicional Almoço Della Mamma contou com três auxiliares e oito alunos recém-formados trabalhando na cozinha, que serviram 400 refeições durante o evento, ao lado de 20 garçons (fotos acima). Abaixo, foram servidos capelletti e spaghetti preparados pelos próprios alunos do projeto

RENDA EXTRA
A oficina já está gerando frutos. Moradora de Porto Real, a professora Marilda de Jesus Batista continua trabalhando em uma sala de recursos para alunos portadores de deficiência e do transtorno do espectro autista, em uma escola da Rede Municipal de Ensino de Resende, mas conta com mais uma fonte de renda extra: a fabricação de massas em casa.

– Sempre tive vontade de aprender a fazer esses pratos, mas só consegui ingressar na segunda oportunidade de inscrições, na ocasião ainda ficou gente na fila de espera – relembra.

Depois da conclusão do curso, Marilda aproveita as horas vagas para preparar as massas e vender a parentes e amigos interessados. “Quando fiz as primeiras massas em casa, meus parentes e familiares aprovaram e aí espalharam a novidade para outros conhecidos, e os pedidos só aumentaram nos últimos meses”, revela a professora.

A oficina é uma das que incluem o projeto Condomínio Cultural de Porto Real, criado em 2015 através de uma parceria com a Prefeitura de Porto Real e o Instituto Dagaz (responsável pelo projeto de valorização da cultura dos imigrantes que fundaram o município, por meio da chancela do Instituto de Patrimônio Histórico Nacional – Iphan). Além da culinária, o projeto também tem outras oficinas temáticas que atendem a toda a população.

Mesmo com a grande procura, a Oficina de Culinária continuará abrindo inscrições ao longo deste ano, que poderão ser feitas na Casa da Cultura, na Avenida Dom Pedro II, 756, de 13 às 17h, de segunda a sexta-feira.

Você pode gostar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

O limite de tempo está esgotado. Recarregue CAPTCHA.