Vai um pão com linguiça aí?

linguica4Há 10 anos, o produtor agroindustrial e feirante Haroldo Carlos da Silva (foto) vende linguiças e outros embutidos na Feira Livre de Barra Mansa. Dois anos mais tarde ele adotou uma forma deliciosa de atrair sua clientela, servindo em sua barraca o famoso pão com linguiça, que virou o principal carro-chefe de vendas, ao lado do produto. “O pão com linguiça é servido em nossa barraca desde o dia 15 de agosto de 2008 e desde então tem conseguido uma boa aceitação entre a clientela”, diz Haroldo. O lanche é servido com pão, linguiça tradicional, vinagrete e molho, e sai a R$ 4.

O feirante, que não quis revelar números sobre as vendas, conta que pão com linguiça tem uma boa aceitação, assim como os demais produtos. E quem tem a oportunidade de experimentar o lanche servido na barraca, acaba se deparando com outras novidades. Além da versão tradicional, Haroldo também tem faturado nas vendas de linguiças com pimenta e com diferentes recheios de queijo provolone, azeitona, tomate seco, jiló e rúcula com salsa, e que também são bem vendidos.

Segundo Haroldo, a produção é feita em uma pequena propriedade no bairro Vila Coringa, em Barra Mansa. Além dos familiares, ele conta com mais dois contratados para darem conta da fabricação das linguiças artesanais. “Além das linguiças, também trabalhamos com chouriços, torresmos e defumados”, cita, destacando que nunca teve propriedade rural e que compra a matéria-prima de fornecedores da região. Os preços dos produtos variam de R$ 5 (os torresmos vendidos por 150 g para aperitivo) a R$ 20 (linguiças defumadas).

linguica1O jornal BEIRA-RIO esteve no local na última sexta-feira, dia 24, e experimentou o pão com linguiça. E por sinal, é muito bom. Imagine então se ele fosse feito com as versões recheadas e defumadas…taí uma sugestão para o produtor fazer essa degustação com os clientes.

FEIRA A SEMANA INTEIRA
Em média, Haroldo e sua família participam de 10 feiras semanais, de terça a domingo, sempre em Barra Mansa. Além de vender seus produtos, ele preside a Comissão Provisória dos Feirantes de Barra Mansa, que ainda está se regularizando. “Estamos ainda elaborando um estatuto para oficializar em definitivo uma comissão. Dessa forma, facilitará o trabalho com as necessidades da nossa categoria”, completa.

Haroldo e os colegas podem ser encontrados nos seguintes dias: às terças, na Região Leste e no Roberto Silveira; às quartas, no Jardim das Preguiças (Espaço Cultural, no Centro), às quintas no Boa Sorte e na Colônia; às sextas em Saudade e no Gare da Estação (Centro); aos sábados no Ano Bom e aos domingos na Vila Nova.

Você pode gostar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

O limite de tempo está esgotado. Recarregue CAPTCHA.