Aves e ovos livres de hormônios e produtos químicos

granja organica1Em nome da saúde e do bem-estar, depois de se aposentar como engenheiro na cidade do Rio de Janeiro, Adhemar Pineschi (foto) decidiu investir na venda de ovos e de aves para corte, tudo livre de produtos químicos, hormônios e alimentação isenta de agrotóxicos. Ele é mais um produtor de Barra Mansa que decidiu investir no ramo de alimentos orgânicos, e costuma participar da Feira Orgânica de Barra Mansa em alguns dos dias do evento.

— Minha experiência começou em outubro do ano passado, foi quando resolvi realizar uma experiência com os ovos e adquiri alguns frangos, foi então que decidi morar na propriedade que tenho aqui no município – explica.

Pineschi vive há 8 meses em seu sítio, chamado de Granja Esperança, localizado na estrada que liga Barra Mansa ao distrito de Rialto, e ao passar a trabalhar como produtor rural, também quis investir na qualidade de vida, criando as aves adquiridas de forma orgânica.

— Elas são criadas soltas, da mesma forma que em propriedades que realizam a produção de forma artesanal, porém tradicional. A diferença é que a alimentação de frangos e galinhas tem que ser tudo com gramíneas, frutos e sementes plantadas sem agrotóxicos e não se aproveita restos de comida. Além disso, elas têm um reforço de rações livres de transgênicos na dieta. E o pasto delas também não pode ter qualquer composto químico utilizado em adubação do solo.

O produtor também destaca outras diferenças na criação dessas aves em relação às granjas convencionais. “Além de ficarem confinadas, tanto as aves de corte quanto às de produção de ovos recebem antibióticos para não adoecerem e hormônios para acelerar o crescimento e o abate. Em média, os nossos frangos são abatidos entre 90 e 100 dias, e os das granjas convencionais em 45 dias”, acrescenta.

As aves da propriedade de Pineschi se alimentam de pimenta (e suas sementes), que tem propriedades preventivas à saúde delas, ajudando-as a adquirirem imunidade, e as folhas e caule das bananeiras, que regulam a função intestinal delas. E a ração é feita de milho e soja. “Além de se alimentarem, as aves contribuem para adubar o solo onde estão pastando através do composto orgânico que eliminam. Quando se faz necessário, elas são tratadas com produtos homeopáticos, também naturais”.

granja organica3A propriedade tem em torno de 90 galinhas, que põe em média 100 ovos por ano, e mais 180 pintos próprios para corte, em fase inicial de engorda (foto acima, à direita). O proprietário explica que toda essa produção resulta em uma textura de carne totalmente diferente, os ovos perdem o odor enjoativo e a casca fica ainda mais resistente que as dos ovos de aves criadas em propriedades convencionais.

— A nossa sociedade vem se alimentando de produtos impregnados de químicas e hormônios, tanto que o maior exemplo que temos hoje é o fato de cada vez mais as meninas entrarem de forma precoce na fase da puberdade, tudo isso provocado por hormônios consumidos por animais abatidos e oferecidos para consumo humano – diz Pineschi.

Ele vende os ovos a R$ 7,50 (caixa com meia dúzia) e R$ 14 (a dúzia) na feira, e as aves abatidas a R$ 27 (frango inteiro), a R$ 37,50 (sobrecoxa e coxa sem pele) e R$ 75 o quilo (peito de frango sem pele). Mas a carne das aves é vendida somente por encomenda. “No primeiro lote de vendas, os frangos foram todos vendidos por encomenda, já que preparamos a ave para comercialização. Optamos por vender apenas dessa forma, e a maioria das pessoas que compram com a gente também encomenda esses produtos”.

A fisioterapeuta Letícia Medeiros, uma das clientes dos produtos de Pineschi, fala que a compra de um produto orgânico é compensadora. “Hoje os produtos orgânicos são mais caros, mas vale a pena investir em algo mais caro, mas que preserve a nossa saúde. A gente precisa fugir desses produtos contaminados por agrotóxicos e hormônios, e por isso sempre costumo comprar orgânicos. Quanto mais fizermos isso, mas os preços baixarão”, acredita.

O produtor revela que toda a produção de orgânicos é vinculada e certificada com o selo da Associação de Agricultores Biológicos (Abio), e que há um rigoroso controle de qualidade entre os associados de Barra Mansa. “Nossas reuniões são mensais e as visitas de avaliação da entidade se dá a cada 90 dias, sem que o produtor visitado saiba previamente. E normalmente essa vistoria acontece na presença de outros colegas produtores”, completa.

O produtor tem uma página nas redes sociais, onde as informações sobre a produção podem ser acompanhadas etapa a etapa, especialmente na produção de aves para abate.

Foto das aves: Reprodução do Facebook

Você pode gostar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

O limite de tempo está esgotado. Recarregue CAPTCHA.