20082017

Polícia investiga morte de amigo de suíço desaparecido

Tamanho do texto »

Diego Faccanoni (foto) desapareceu em novembro passado e era amigo da vítima (Foto: Reprodução da Internet)

A polícia ainda não tem uma linha de investigação definida sobre a morte de Jorge Roberto Tesliuk, de 62 anos, cujo corpo foi encontrado às margens da Via Dutra, próximo a Engenheiro Passos, em Resende, na manhã de segunda-feira, dia 12. O corpo estava com marcas de tiro na boca e enforcamento, já que tinha uma corda no pescoço. A Polícia ainda aguarda o resultado de um laudo pericial feito no local, mas suicídio é uma das linhas de investigação. Sobre a hipótese levantada anteriormente de que Tesliuk foi morto por queima de arquivo, o delegado da 89ª DP, Marcelo Ribeiro, acha prematuro qualquer afirmativa, disse que há muita especulação.

O idoso, que morava no bairro Toyota, em Resende, recebeu em novembro do ano passado a visita de um amigo, o suíço Diego Giusepe Faccanoni, de 53 anos, que desapareceu no dia 15 daquele mês depois que saiu da casa de Tesliuk em um carro que foi alugado em Guarulhos/SP. Diego viajaria no mesmo dia com a mulher para seu país de origem, mas desapareceu antes de chegar ao município paulista, onde pegaria o voo de volta após ter passado férias com a companheira em sua casa de veraneio, em Penedo, Itatiaia. A mulher, Cícera Faccanoni, que é brasileira, não acredita que o companheiro desapareceu por vontade própria.

Duas semanas depois, o veículo foi encontrado trancado e com as chaves na ignição, no bairro Cabral. Dois dias após o desaparecimento de Diego, a polícia pediu quebra de sigilo telefônico do suíço, decretada pela justiça em dezembro, mas nenhuma outra pista foi encontrada até então. No mês passado, um representante da família e um tradutor vieram ao Brasil para acompanhar de perto o caso, porém não conseguiram quaisquer novidades, já que as investigações não avançaram.

Deixe um comentário

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.