24092017

Museus como opção de Turismo em Resende

Tamanho do texto »

mamNo dia 18 de maio, desde 1977, é comemorado o Dia Internacional dos Museus, data escolhida para aproximar as pessoas de todo o mundo dos museus. Em Resende, ainda que muitas pessoas não saibam, os museus são uma excelente oportunidade de Turismo, já que existem ao menos dois na cidade – fora as exposições itinerantes – e ambos com entrada gratuita.

O mais antigo da cidade é o Museu de Arte Moderna (Mam), que foi fundado na década de 1950, mas foi fechado algum tempo depois, sendo reaberto apenas em 1974. Atualmente, a maior parte de suas exposições é de artistas da região, que expõem suas obras em períodos que variam que 45 a 60 dias, com intervalos de dez dias entre as exposições para a montagem e desmontagem. Atualmente a exposição é cartaz é “Entre Pontos e Nuvens”.

– Resende está entre São Paulo e Rio de Janeiro, onde estão os maiores acontecimentos culturais do país, então acredito que isso tenha sido importante para a criação do museu. Não tem um padrão das exposições, os artistas apresentam seus trabalhos e oferecemos o espaço, mas tenho dado um foco maior para os artistas da região – explicou a curadora e diretora do MAM, Melissa Barretti.

Outra opção de visitação em Resende é o Museu da Imagem e doMIS Som (MIS), que fica dentro da Casa de Cultura Macedo Miranda. Oficialmente legalizado como museu em 2011, já vem sendo idealizado desde a década de 1980. Além de ver os eletrônicos antigos e discos de vinil, é possível ouvir as músicas dos vinis em uma vitrola.

– O historiador Claudionor Rosa veio juntando discos de vinil e material na casa dele e depois recebeu uma doação da Rádio Agulhas Negras de mais discos de vinil e conseguiu um espaço com o Governo Municipal para guardar, mas foi em julho de 2011 que o prefeito José Rechuan Junior (PP) realmente decretou o museu como de fato e de direito. Estamos catalogando o material ainda, mas a gente estima que sejam 20 mil vinis e mais de 90 objetos, entre aparelhos de tv, rádio e celulares antigos – relembrou o coordenador do MIS, Guilherme Rodrigues.

O historiador Claudionor Rosa, aliás, assina a curadoria da maioria das exposições históricas do município, já que é o diretor do Arquivo Histórico Municipal. Também na Casa de Cultura existe ainda o corredor cultural, onde ele expõe parte deste acervo que, atualmente, relembra a Revolta da Chibata.

CORREDOR– O arquivo foi criado pelo Noel de Oliveira, quando ele era prefeito, e mesmo não sendo exatamente um museu faz exposições próprias e cria um espaço cultural. Agora estamos falando sobre a Revolta da Chibara. Já sobre o MIS, vim levantando material desde a década de 1980 na minha casa, mas isso foi uma fase e agora em um espaço municipal é outra fase – comentou Claudionor Rosa.

O que prejudica um pouco os museus é o horário, que por acompanhar o da prefeitura atualmente fica aberto das 12h às 18h, de segunda a sexta-feira. Por isso, a maior parte das visitas é feita por estudantes das escolas públicas, devido a um projeto desenvolvido pelas Secretarias Municipais de Turismo e Educação. Mesmo assim, todos eles estão abertos a visitas em horários alternativos, desde que previamente agendadas.

O MAM fica na Rua Doutor Cunha Ferreira, 109, e visitas em horários alternativos podem ser marcados pelo (24) 3360-1470 ou (24) 3360-6155. Já a Casa de Cultura, onde ficam o MIS e o corredor cultural, tem como endereço a Rua Doutor Luís da Rocha Miranda, 117, e o telefone é (24) 3354-6927.

Deixe um comentário

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.