26052017

Aves para observar e se deleitar

Tamanho do texto »

passaros dentroQuando se pensa em ecoturismo, o que vem à sua cabeça? Trilhas no meio da mata, esportes radicais? E que tal observar aves? O Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), o ICMbio e as prefeituras de Resende e Itatiaia realizaram recentemente um workshop sobre Infraestrutura para Turismo de Observação de Aves, no Parque Nacional Serra do Itatiaia, com sugestões para desenvolver esse tipo de turismo no local de forma responsável e não predatória.

De acordo com o Wikiaves, uma página da internet que registra ocorrência de aves e que é alimentada por observadores de aves profissionais, os “birdwatchers”, o município de Itatiaia e seu entorno possuem 550 espécies de aves residentes, sendo algumas delas ameaçadas de extinção em níveis que variam do “próximo de estar ameaçada” ao “criticamente ameaçada de extinção”. Só esse dado já seria um motivo significativo para o investimento neste tipo de ecoturismo, mas além disso, segundo especialistas, esta atividade envolve os praticantes na conservação ambiental.

“Unidades de Conservação como Parques e Reservas Particulares do Patrimônio Nacional possuem vocação natural para esta atividade, visto que, ao priorizar a conservação de fauna e flora, fornecem grandes oportunidades aos praticantes da atividade. Muitas vezes as espécies mais procuradas são encontradas apenas nestas áreas. Portanto, aproximar gestores destas Unidades com a prática da observação de aves só pode resultar em uma parceria positiva, cujo resultado será sempre benefício para nossa avifauna e incentivo a uma atividade econômica sustentável e multiplicadora de educação ambiental”, destaca a estudiosa Maria Antonietta Castro Pivatto.

No entanto, para que o impacto da atividade seja realmente positivo na área em que será realizado, são necessários alguns cuidados quanto a equipamentos, trilhas e toda a infraestrutura e orientações direcionadas aos turistas. Por isso, o workshop procurou ressaltar o trabalho da forma com que será realizado, com diversas aulas práticas e visitas técnicas a locais que podem servir como observatório de aves.

Além da conservação ambiental, o retorno econômico da observação de pássaros também se mostra bastante animador. Estudiosos sobre o assunto estimam que 600 turistas venham ao Brasil anualmente para observar aves, movimentando cerca de US$ 1 milhão. Nos Estados Unidos, onde a atividade está consolidada, 40% da população adulta já praticava a observação de aves há 20 anos, gerando US$ 100 bilhões somente com as vendas de equipamentos.

Além de Itatiaia, Resende também tem potencial para investir na observação de aves. Um dos locais em que se sugeriu um observatório de aves na cidade foi o Refúgio de Vida Silvestre (Revis) da Lagoa da Turfeira, que ainda está em processo de consolidação e só se tornou reserva ambiental após os alertas de um observador de aves, que pesquisava na região. Recentemente, o diagnóstico de fauna do Parque Estadual da Pedra Selada também apontou grande biodiversidade de espécies, sendo encontradas ocorrências de 322 aves.

Fotos: Arquivo Jornal BEIRA-RIO.

Deixe um comentário

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.